ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Paraná registra recorde na produção da indústria de alimentos

O índice ajudou o Paraná a alcançar um crescimento de 5,7% na produção industrial geral, somadas todas as atividades, que também foi o melhor resultado do Brasil no ano passado.

19/02/2020

A produção da indústria de alimentos do Paraná cresceu 8,8% no ano passado em comparação com 2018, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. O desempenho é o maior da série histórica, iniciada em 2002, e o melhor do País. A taxa nacional do setor foi de 1,6%. O índice ajudou o Paraná a alcançar um crescimento de 5,7% na produção industrial geral, somadas todas as atividades, que também foi o melhor resultado do Brasil no ano passado. 

O resultado positivo da indústria paranaense de alimentos no ano passado recuperou os indicadores negativos dos dois anos anteriores. Segundo o IBGE, fevereiro, março, maio e outubro foram os meses com maior produção em 2019, com aumentos que variaram entre 14% e 23% na comparação com os mesmo períodos do ano anterior.

O setor industrial de alimentos na pesquisa do IBGE engloba segmentos como o abate e fabricação de carnes, pescados, biscoitos, achocolatados, balas, condimentos, massas, pães, óleos, laticínios, alimentos à base de milho, trigo, arroz, café, açúcar e outros. Em 2019, o Paraná se destacou também na produção de veículos, máquinas e produtos de metal. Outros indicadores da cadeia de alimentos ajudam a explicar o crescimento do setor industrial no ano passado. A pesquisa trimestral de abate de animais, também do IBGE, aponta números positivos para o Estado em 2019 tanto na cadeia de suínos como na de frangos.

Segundo o Ministério da Economia, o Estado consolidou a 3ª posição no ranking nacional das exportações agropecuárias, correspondendo a 13% do volume brasileiro. O agronegócio foi responsável por cerca de 77% das exportações do Paraná em 2019. Para aumentar esse ritmo, as 216 cooperativas paranaenses vinculadas ao Sistema Ocepar anunciaram investimentos de 3 bilhões e 800 milhões de reais neste ano.

O planejamento se concentra em infraestrutura e na industrialização da produção agrícola e da pecuária. O Paraná também espera atingir novo patamar sanitário no mercado internacional nos próximos meses com duas conquistas de 2019. Instruções normativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reconheceram o Paraná como área livre da peste suína clássica e encerraram a vacinação contra a febre aftosa dos bovinos e bubalinos, etapa para conquista do selo de Estado Livre da Aftosa Sem Vacinação da Organização Mundial de Saúde Animal. (Repórter: Rodrigo Arend)

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar