ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Instituição de microfinanças chega a Guarapuava para atender empreendedores de negócios de micro e pequeno porte

Além de Guarapuava, a nova operação vai atender os municípios de Campina do Simão, Candói, Cantagalo, Foz do Jordão, Goioxim, Guamiranga, Inácio Martins, Pinhão, Prudentópolis, Reserva do Iguaçu e Turvo.

28/10/2020

As dificuldades de acesso a crédito, bastante conhecidas entre empreendedores e famílias de baixa renda, acentuaram-se durante a pandemia do novo coronavírus. Na contramão desse movimento, o Banco da Família, que já atua nas regiões de União da Vitória e Irati, chega em novembro a Guarapuava e aos municípios vizinhos. Fundada há 22 anos, a instituição tem clientes em 138 municípios dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná e já concedeu mais de R$ 916 milhões em crédito em pouco mais de 324 mil operações, números que a consolidam como a maior do setor de microfinanças no Sul.

Além de Guarapuava, a nova operação vai atender os municípios de Campina do Simão, Candói, Cantagalo, Foz do Jordão, Goioxim, Guamiranga, Inácio Martins, Pinhão, Prudentópolis, Reserva do Iguaçu e Turvo, área com uma população estimada em pouco mais de 350 mil habitantes.

O trabalho da instituição se dá principalmente pela ação dos agentes de crédito, profissionais que buscam criar relacionamento com a população para conhecer suas necessidades e oferecer crédito para quem empreende um pequeno negócio, precisa fazer uma reforma ou até construir uma casa. “Atuamos há 22 anos para transformar a vida da população que mais necessita de apoio. Trabalhamos para incentivar o empreendedorismo com o foco voltado para os pequenos negócios, sempre fomentando a economia local”, diz Isabel Baggio, presidente da instituição.

 

Sobre o Banco da Família

O Banco da Família é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) com cerca de 21 mil clientes ativos, que tem sua atuação definida principalmente pelas histórias de vidas transformadas e sonhos realizados. A instituição reinveste 100% dos recursos que gera na própria comunidade.

A história da instituição começou em 1998, com a fundação do Banco da Mulher, numa iniciativa da Câmara da Mulher Empresária, da Associação Comercial e Industrial de Lages (ACIL), Santa Catarina, após constatação que grande parte dos micro e pequenos negócios da região era liderado por mulheres. Desde o princípio, o Banco da Família buscou oferecer uma alternativa de crédito aos pequenos negócios, formais e informais.

Sua história registra uma das experiências mais importantes em negócios inclusivos na América Latina. “Os números espelham os resultados conquistados após anos de investimentos em pessoas, muitas horas de treinamento, conexões e parcerias com organizações públicas e privadas, mas acima de tudo amor ao próximo e desejo de promover a qualidade de vida das famílias. Incluir é nossa missão”, diz a presidente Isabel Baggio.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar