ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

GUARAPUAVA: Saúde municipal vacina 2100 pessoa no domingo

Ontem, 20 de junho, pessoas acima de 46 anos receberam a primeira dose do imunizante contra o Coronavírus.

21/06/2021

Clique AQUI para ouvir:

Ontem, domingo, 20 de junho, a Campanha Guarapuava Imunizada, que está vacinando contra a COVID-19, aplicou todas as doses do último lote destinadas para pessoas com 46 anos ou mais (população em geral). Ao todo, foram vacinadas 2.100 pessoas. Dessa forma, a vacinação por idade fica suspensa até o recebimento de mais vacinas.

Hoje, segunda-feira, a aplicação de primeira dose será destinada a profissionais do Ensino Superior e da Educação Básica. A vacinação para este grupo começou às 9h da manhã.

A coordenadora da campanha Chayane Andrade, explicou que as vacinas da Pfizer exigem um processo de preparo e diluição mais demorado que as demais e, por isso o início da vacinação será uma hora mais tarde.

Também devem procurar a Central de Vacinação hoje, pessoas que tomaram a vacina Coronavac há pelo menos 20 dias e da AstraZeneca no mês de março. A dose de reforço foi disponibilizada a partir das 8h da manhã.

No fim da tarde de ontem, Guarapuava alcançou a marca de 36,99% da população vacinada com pelo menos a primeira dose, totalizando 67.554 pessoas.

O maior grupo prioritário atendido é o de idosos com 23.394 pessoas de 60 anos ou mais. Em segundo está o de pessoas com comorbidades que abrange, até o momento, 16.643 guarapuavanos com idade entre 18 e 59 anos, portadores de doenças crônicas, com deficiência permanente ou com Síndrome de Down. Mais de mil gestantes e mulheres que foram mães recentemente também já buscaram a imunização.

ESPERANÇA

As doses de esperança, como as vacinas da COVID-19 foram chamadas nas redes sociais, trazem a expectativa da diminuição do contágio do vírus, e a possibilidade de em breve, a população não precisar usar mais máscaras, ficando livres, portando, para abraçar os entes queridos. Mas isso não é tão simples, conforme destacam especialistas. Mesmo com a vacina, a máscara, o distanciamento social, e o álcool em gel, continuam sendo aliados no combate à COVID-19.

O docente do curso de Farmácia da Unioeste, a Universidade Estadual do Oeste do Paraná, e especialista em virologia do Hospital Universitário do Oeste do Paraná, Alex Sandro Jorge, afirmou que nenhuma vacina impede de contrair a doença, mas sim, caso a pessoa seja exposta ao vírus, se vacinada, ela pode não ter sintomas graves, e então se recuperar sem complicações.

Sandro reforça ainda, que a vacina é segura e eficaz, mas os cuidados básicos continuam sendo essenciais para não contaminar outras pessoas, principalmente nesse momento em que a taxa de vacinação da população não é muito alta. “O álcool em gel é extremamente necessário. A higienização das mãos, também é um item necessário. A máscara é um método de barreira. Ela evita, tanto da pessoa que está infectada em transmitir para a outros, quanto da pessoa que não esteja infectada, em adquirir o vírus”, pontua Sandro.

MÁSCARAS

Segundo o professor, o tão esperado desejo de tirar a máscara ainda não será possível nesse momento, pelo menos até que grande parte da população esteja vacinada.

E por isso é importante lembrar sobre uso correto desse item que se tornou parte da rotina de toda a população. Há pelo menos três tipos: - Máscara de tecido: deve ser utilizada por toda a comunidade em ambientes fechados ou abertos; é importante estar atento, pois estas devem possuir três camadas; - Máscara cirúrgica: utilizada por profissionais de saúde que atendem pacientes sem suspeita de COVID-19 a menos de um metro de distância; - Máscara N95: utilizada por profissionais de saúde que atendem pacientes com suspeita ou confirmação de COVID-19. É necessário ficar atento ao distanciamento social de pelo menos um metro e meio para minimizar o risco de infecção; além disso, a higienização das mãos é indispensável.

 

 

 

 

Galeria de Fotos

Comentários