ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Fagner e Renato Teixeira finalizam álbum com arte, poesia e Almir Sater

Previsto para março, o álbum Naturezas traz o cantador e violeiro na inédita Para nosso amor amém e na regravação de Tocando em frente

25/11/2021

“Eu que sou dono das minhas verdades / Tô vendo o mundo com um outro olhar / ... / O mundo todo agora é uma ilha / Girando no espaço sideral / Vou por mim mesmo certo que hoje em dia / Eu mesmo posso me solucionar / Eu não preciso mais que me dirijam / Nem que me digam a quem devo amar / Um mundo só de arte e poesia / Tudo bem simples, esse é o meu lugar…”, se situam Raimundo Fagner e Renato Teixeira nos versos da música Arte e poesia.

Canção criada pelo artista cearense com o trovador paulista, Arte e poesia é uma das oito músicas inéditas compostas por Fagner em parceria com Renato Teixeira e gravadas em Naturezas, álbum que os cantores terminam de gravar juntos neste mês de novembro de 2021, no estúdio da gravadora Kuarup, na cidade de São Paulo (SP).

Outras duas músicas já conhecidas, Mucuripe (Raimundo Fagner e Belchior, 1972) e Tocando em frente (Almir Sater e Renato Teixeira, 1990) completam o repertório de Naturezas, disco ainda em fase de mixagem e previsto para ser lançado em março.

Antes, em 17 de dezembro, a Kuarup põe no mundo digital o primeiro single do álbum com capa criada pelo artista visual Elifas Andreato.

 

Ainda em fase de ajustes finais, a regravação de Tocando em frente – obra-prima da canção folk nacional, apresentada ao Brasil na voz de Maria Bethânia no álbum 25 anos (1990) – foi escolhida para ser a amostra inicial do álbum Naturezas. Feito com arranjo do guitarrista Natan Marques, o registro de Tocando em frente conta com a voz de Almir Sater, parceiro de Teixeira na canção.

Sater marca dupla presença no álbum Naturezas. O cantador e violeiro sul mato-grossense também figura na gravação de Para o nosso amor amém, canção cuja letra segue a toada positivista do disco em versos como “Deixa a vida nos guiar / Como os trilhos que levam o trem além / Para os pássaros os céus / E para o nosso amor amém”.

As dez músicas do álbum Naturezas foram gravadas com os toques dos músicos Cainã Cavalcante (violão), João Cristal (piano), Maguinho Alcântara (bateria), Maurício Novaes (teclados, violão e percussão), Natan Marques (guitarra) e Wilson Levy (contrabaixo). As oito músicas inéditas foram arranjadas por Maurício Novaes, cabendo a Natan Marques orquestrar as regravações de Mucuripe e Tocando em frente.

O detalhe curioso é que o álbum Naturezas foi gravado no estúdio recém-inaugurado pela gravadora Kuarup no porão da sede da gravadora na cidade de São Paulo (SP). O estúdio foi batizado com o nome de Renato Teixeira, não somente pelo fato de o artista ser nome relevante recorrente no catálogo da Kuarup, gravadora pela qual lançou seis álbuns, mas pela coincidência de, nos 1970, o trovador ter morado em casa de São Paulo no endereço que atualmente abriga a companhia fonográfica.

Foi nessa casa que Fagner bateu em 1973 com a fita com a gravação do primeiro álbum do artista cearense, Manera, Fru Fru, manera, para o disco ser ouvido por Teixeira. Como cantam Fagner e Renato Teixeira em versos da música Para o nosso amor amém, “Tudo é parte do destino / Que se tem para viver”.


Fonte g1

Comentários