ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

PARANÁ: Quatro pessoas são presas pela Polícia Federal em operação contra falsos policiais

Os bandidos se passavam por agentes federais para extorquir traficantes e contrabandistas, no Paraná. Criminosos atuavam na região da fronteira com o Paraguai.

21/05/2021

Coletes falsos e armas potentes faziam parte dos aparatos usados pelos bandidos

Quatro pessoas foram presas em uma operação da Polícia Federal (PF) contra uma organização criminosa composta por falsos policiais, que são investigados por roubar traficantes e contrabandistas, no Paraná. A ação foi desencadeada nesta sexta-feira (21).

A operação cumpriu sete mandados de prisão preventiva e onze de busca e apreensão nas seguintes cidades do Noroeste e Oeste do estado: Guaíra, Cianorte, Umuarama e Terra Roxa.

Dos sete mandados de prisão expedidos pela Justiça, a PF prendeu quatro investigados. Outros dois já estavam detidos, segundo a polícia. Um suspeito é considerado foragido.

Ainda conforme a PF, a organização criminosa está ligada ao tráfico internacional de drogas e armas, além de contrabando, descaminho e roubos. Entre as mercadorias também estão medicamentos, cigarros e eletrônicos.

O grupo atuava na região da fronteira do Brasil com o Paraguai, no Paraná. Os alvos eram preferencialmente outros criminosos, como traficantes e contrabandistas.

Para isso, os homens se passavam por policiais, com a utilização de viaturas e uniformes falsos. Segundo a PF, os suspeitos faziam abordagens violentas e sequestravam os alvos. As mercadorias ilícitas roubadas voltavam ao mercado por meio de receptadores.

A organização contava ainda com o apoio de batedores e olheiros que trabalhavam para traficantes e contrabandistas. Segundo as investigações, essas pessoas repassavam informações dos alvos para os falsos policiais.

A polícia informou que as investigações começaram há seis meses, quando os agentes identificaram um suspeito de Cianorte que adquiria produtos paraguaios abaixo do preço praticado no País vizinho, o que levantou a suspeita de roubo.

A PF afirmou que um operador financeiro do grupo movimentou nove milhões de reais, nos últimos seis meses. Durante as investigações, os agentes apreenderam armas e outros equipamentos usados pelos criminosos.

A Justiça Federal autorizou o bloqueio de 50 contas bancárias, o que representa cerca de R$ 20 milhões, além do sequestro de cinco imóveis.

Ao todo, 60 agentes participam da operação, batizada como Interceptor.

Foto: PF/Divulgação

 

Galeria de Fotos

Comentários