ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Operação Tentorium expõe forte presença do PCC em Guarapuava

Desencadeada na manhã desta quinta-feira (20) operação mirou em alvos que comandam e participam de execuções dentro da Cadeia Pública de Guarapuava, a mando do PCC, segundo a investigação.

20/08/2020

A Operação Tentorium, desencadeada na manhã desta quinta-feira (20) expôs a grande presença da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) em Guarapuava. A investigação de um ano resultou na operação com 54 mandados de prisão preventiva contra integrantes de facção investigados pela prática de execuções de integrantes de grupos rivais no interior da Cadeia Pública de Guarapuava. Além das prisões foram cumpridos 32 mandados de buscas e apreensão.

“O Ministério Público identificou que essas mortes decorrem da atuação da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que exerce o controle não só da Cadeia Pública de Guarapuava, mas da maioria dos estabelecimentos prisionais do estado”, disse o promotor do Gaeco Pedro Papaiz.

A investigação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e a operação teve apoio da Polícia Militar e Polícia Civil.

Segundo ele em 2019 foram cinco mortes e elas teriam sido motivadas por cobrança de dívidas de acertos de contas com membros de organizações rivais, como do Comando Vermelho e Primeiro Grupo Catarinense.

Além das mortes, os integrantes da célula da organização criminosa, que tem atuação em presídios de todo o país, também seriam responsáveis por episódios de espancamentos e tortura de detentos dentro da cadeia. A motivação seria dívidas por drogas.

Segundo o promotor, um detendo que estava em Guarapuava no ano passado e ocupava alto posto de comando hierárquico no PCC, teria confessado homicídios. 

“A pessoa que exercia a liderança durante o ano passado se declarou como autor de pelo menos cinco mortes dentro da cadeia”, disse o promotor. Além dessas, mortes que ocorreram em outras cadeias e estão sendo investigadas por outros núcleos do Gaeco.

Foram apreendidos mais de 30 celulares e inúmeros comprovantes de depósitos bancários, o que foi especialmente comemorado pelo promotor, já que esse tipo de material pode ajudar na comprovação dos vínculos com a organização criminosa.

Prisões

As ordens de prisão foram concedidas pela 2ª Vara Criminal de Guarapuava. Dos 54 alvos, 42 já estão presos.  O cumprimento dos mandados está sendo feito com apoio da Polícia Militar, nos municípios de Guarapuava, Ponta Grossa, Prudentópolis, Campina do Simão, Cantagalo, Quatro Barras, Piraquara e Paranaguá.

Apreensões

Até o momento, durante o cumprimento dos mandados de prisão preventiva, foram apreendidos uma pistola, três espingardas, dois revólveres, quantidades de crack, cocaína, maconha e rebite, além de comprovantes de depósitos em favor de pessoas ligadas a organização criminosa e R$ 8 mil em espécie (que seriam resultante de tráfico de drogas).

Foto: 16ºBPM. Rreportagem: Cléber Moletta. 

Galeria de Fotos

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar