ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Música pop que expressa a fé

23/08/2019

No panorama musical de hoje, um artista secular raramente pode escrever uma canção espiritualmente inspirada sem se identificar como “artista eclético”. A linha notória entre o secular e o religioso está sempre presente aos olhos dos críticos, mas não é assim que a música historicamente foi categorizada.

Teve uma época em que a música era escrita principalmente com o objetivo de glorificar a Deus. Ainda recentemente, nos anos 80, a banda Mr. Mister conseguiu escrever Kyrie sem ser questionada se havia mudado de gênero para o Rock Cristão.

“Where the Streets Have No Name” do álbum de 1987 do U2, é uma das músicas inspiradas pela fé de artistas seculares que conseguiram permanecer altamente respeitados na cultura pop. Essas músicas carregam uma profunda introspecção em tópicos de fé, vida após a morte, perdão e o que significa se render a um poder superior.

Não quer dizer, porém, que os artistas em questão aderiram plenamente à doutrina católica. Um caso que gera controvérsias é Bono, do U2, que oscila entre mostras de fé e atitudes opostas a ela, como a sua postura no tocante ao aborto:

 Feita a ressalva, é interessante considerar a aberta influência da fé em composições musicais de artistas mundialmente renomados:

 

Where the Streets Have No Name” é do álbum de 1987 do U2, Joshua Tree  Ela abre com uma introdução em órgão, característica de muitas músicas cristãs. E se transborda em um ritmo frenético, que se encaixa perfeitamente no primeiro verso, “I want to run”. A letra de Bono fala sobre a imperfeição do homem e do desejo de viver dentro dos ideais de uma vida espiritual, para chegar ao lugar “Onde as ruas não tem nome ”, uma excelente alusão ao céu.

(Fonte: Aleteia)

 

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar