ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Sintesu aprova estado de greve pela reposição da inflação. Unicentro poderá parar no dia 14 de junho.

A decisão é uma resposta diante da postura do governo Ratinho Junior (PSD) que ainda não anunciou o pagamento da reposição salarial do funcionalismo.

08/06/2019

Após a realização das assembleias contemplando os três campis da Unicentro em Guarapuava e Irati, foi decidido, por unanimidade, por paralisação no dia 14 de junho, em defesa da educação pública e pela reposição da inflação dos servidores públicos do Paraná. Seguindo orientação do Fórum das Entidades Sindicais (FES) a assembleia também deliberou por estado de greve, pelo não pagamento da data-base, e caso se configure em novo calote por parte do governo do estado, os servidores devem entrar em greve ainda neste mês de junho.

As lideranças dos sindicatos que representam servidores públicos e compõem o Fórum das Entidades Sindicais do Paraná (FES) deram início a preparação para uma greve geral unificada.

Segundo o Sintesu a decisão é uma resposta diante da postura do governo Ratinho Junior (PSD) que ainda não anunciou o pagamento da reposição salarial do funcionalismo.

O FES busca uma reunião com Ratinho Junior, com objetivo de que o governador se posicione oficialmente sobre a data-base. Caso os servidores não tenham resposta concreta para solucionar o impasse, a deliberação é por greve estadual a partir do dia 25 junho.

A data-base venceu no dia 1º de maio e os servidores da educação, saúde, segurança e outras categorias do serviço público estadual estão sem correção desde 2016. A defasagem passa de 17%.

 

Fonte: Sintesu

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar