ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Ministério da Saúde publica edital de licitação para construir Radioterapia em Guarapuava

Abertura das propostas está marcada para 26 de novembro.

05/11/2019

O Ministério da Saúde publicou o edital de licitação para construção do prédio da radioterapia em Guarapuava. A obra é estimada em R$ 9,8 milhões e não inclui os equipamentos. As empresas interessadas já podem apresentar seus preços, seguindo as orientações do edital. A abertura das propostas será feita em 26 de novembro.

A obra da radioterapia será construída em anexo a Unidade II do Hospital São Vicente de Paulo, o Hospital do Câncer de Guarapuava, no bairro Cidade dos Lagos. Somente o setor de radioterapia terá mais de 700 metros quadrados.

Para poder abrigar o acelerador linear, equipamento que faz o tratamento com radiação, o edital de licitação apresenta várias especificações técnicas que devem ser seguidas pelas empreiteiras na elaboração das propostas. Uma das indicações é seguir o que recomenda a Varian Medical Systems, empresa que produz os aceleradores lineares.

Hospital São Vicente

O serviço de radioterapia será prestado pelo Hospital São Vicente de Paulo por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente os pacientes de Guarapuava e região se deslocam para Ponta Grossa ou Curitiba para fazer esse tratamento.

A projeção do Ministério da Saúde é que o funcionamento da radioterapia ocorra em março de 2021.

Expansão da radioterapia

Guarapuava é uma das cidades contempladas no Plano Nacional de Expansão da Radioterapia, lançado em 2015. Além de aumentar a cobertura geográfica de serviços de redioterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS) o Plano está atualizando a tecnologia que já está sendo usada no tratamento.

O Paraná teve sete projetos contemplados pelo Plano. Três foram concluídos, três estão em obras e um foi substituído.

Outro benefício do Plano foi a obrigatoriedade da empresa vencedora da licitação construir uma fábrica no Brasil. A Varian se instalou em Jundiaí, onde fabrica os aceleradores lineares. Dessa forma, além de ter o produto a disposição do SUS, a tecnologia de fabricação está sendo transferida para o país.

Imagem: Hospital São Vicente de Paulo.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar