ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Governo do Estado intensifica ações de combate à febre amarela no Paraná

As medidas começaram nesta quinta-feira em 345 municípios e incluem a intensificação da vacina contra a doença.

16/08/2019

O Paraná reforça o combate à febre amarela até 31 de novembro com ações diferenciadas. As medidas começaram nesta quinta-feira em 345 municípios e incluem a intensificação da vacina contra a doença, além de trabalhos para a detecção e investigação de epizootias, que é a morte de macacos provocada pela contaminação do vírus da febre amarela. O combate intensificado ocorre de acordo com o Plano de Ação do Estado do Paraná, pactuado com o Conselho Estadual de Saúde, Conselho de Secretários Municipais de Saúde e com as 22 Regionais de Saúde.

As atividades serão realizadas antecipando a possível rota que o vírus fará no próximo período epidemiológico. Nesta quinta-feira, a secretaria estadual promoveu uma reunião em Ponta Grossa, com a participação de coordenadores do Ministério da Saúde e com a presença de representantes de 12 municípios que fazem parte da terceira Regional de Saúde. O encontro oficializou o início do período de intensificação no Estado.

Com estes caminhos traçados antecipadamente, é possível identificar com mais precisão as epizootias e imunizar a população. A Secretaria da Saúde do Paraná começou a desenvolver o Plano de Ação em fevereiro deste ano com apoio do Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Superintendência de Controle de Endemias de São Paulo e secretarias estaduais da Saúde de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Rodrigo Said pontuou, ainda, que os macacos são como sentinelas nesta questão da febre amarela.

Por meio da Fiocruz já está disponível para toda a população o aplicativo SISS-GEO, que permite o envio de fotos e informações sobre macacos contaminados ou mortos. O sistema envia os dados diretamente ao serviço de Vigilância mais próximo.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, reforçou que a atual recomendação é para que a vacina seja aplicada em crianças a partir de nove meses, sem uma idade limite. De acordo com ela, o ministério tem cerca de 40 milhões de doses disponíveis e o objetivo é atingir cobertura vacinal de 95% da população. Em 2017 o Estado teve 57,3% da população vacinada contra a febre amarela e, em 2018, 63%. Segundo Vera Rita da Maia, chefe da Divisão de Imunização da secretaria, o Paraná tem doses suficientes em estoque e adquiriu seis milhões de seringas para esta tarefa de intensificação.

A meta é que o Estado não tenha registro de novos casos de febre amarela no próximo período epidemiológico. 

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar