ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Em Guarapuava quantidade de leitos de UTI está no limite mínimo recomendado, independente do coronavirus

Segundo parâmetro da Organização Mundial da Saúde (OMS) é necessário um leito a cada dez mil habitantes.

17/03/2020

Reportagem: Cléber Moletta

A regional de saúde de Guarapuava possui  cerca de um leito de Unidade de Terapia Intensiva a cada dez mil habitantes. A quantidade está no limite do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de 1 leito a cada dez mil pessoas. Verificando somente os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), a quantia se mantém ainda no patamar mínimo em situações de normalidade, independente de epidemias e casos excepcionais. Nessas situações a demanda naturalmente aumenta. Por exemplo, segundo Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) entre 10% e 20% dos pacientes infectados com coronavirus precisem de unidades de terapia intensiva (UTI).

Os hospitais Santa Tereza e São Vicente, únicos com UTI pelo SUS na região, atendem em média 80% dos pacientes pelo sistema público. Somente na parcela que depende exclusivamente do SUS são em torno de 364 mil pessoas para 36 leitos (distribuídos entre adultos e para crianças).

A chefe da 5ª regional de saúde, Eliane Harmuch, não quis gravar entrevista. Ela disse que toda discussão sobre a reativação de leitos e ampliação da capacidade de atendimento será realizada na tarde desta terça-feira (17), quando um plano de contingência da regional será elaborado.

Todos os leitos de UTI da regional estão em Guarapuava. São 36 pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e 14 pelo sistema privado. Considerando somente o Sus, são 19 leitos adulto, 13 infantil e quatro pediátricos, segundo o DataSus. A mesma fonte de dados mostra que a rede privada dispõe de 11 adultos e três neonatal. A população estimada na região é de 455.880 em 20 municípios.

Além de não ter margem para um aumento repentino de demanda, outro agravante é o perfil dos leitos. Como a maioria dos casos que necessitam de ventilação mecânica em UTI são de idosos, muitos dos leitos existentes não poderiam ser utilizados.

No município de Laranjeiras do Sul existem dez leitos de UTI, mas não estão em operação. Mesmo com várias promessas já feitas pelo estado, ainda não há uma certeza sobre quando vão funcionar. Mas, esse é um caso de equipamento que pode ser ativado rapidamente.

Regional

O Hospital Regional do Centro-Oeste poderia ser um alívio para essa situação, mas o Estado não tem data para inaugurar a obra. A Sesa não informou sequer qual o modelo de gestão será adotado na obra que deveria estar pronta em 2017, segundo o próprio governo. Atualmente são 91% das obras concluídas, conforme dados do Paraná Edificações, mas o ritmo é praticamente de obra parada. Na manhã desta terça-feira (17), por exemplo, eram menos de 20 trabalhadores na obra, alguns sem atividade por falta de material, conforme apurou a reportagem no local.

O governo do estado anunciou que uma das medidas previstas para enfrentar o coronavirus no Paraná é abrir leitos com ventilação mecânica e UTIs, mas um plano detalhado ainda não foi divulgado.

Imagem: Federação Médica Brasileira.

 

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar