23/02/2017 16:22:00 - Estadual

Todos ligados no Rádio: 90% dos curitibanos ouvem todos os dias

A média de consumo na capital paranaense é de mais de 4 horas por dia.



O rádio é um meio quase onipresente na vida do ouvinte: está no carro, no celular, no computador, na TV a cabo e, claro, nos aparelhos tradicionais. Essa realidade agora está expressa em números. A pesquisa Book de Rádio, do Instituto Kantar Ibope Media, comprova o quanto o veículo permanece relevante para o ouvinte e, consequentemente, para o anunciante.

A primeira constatação já deixa claro o quanto o meio está presente no dia a dia da capital paranaense: 90% dos curitibanos ouvem rádio e a média de consumo é de 4 horas e cinco minutos. Outro importante dado é que 36% dos ouvintes são da classe A/B, 48% da C e 16% da D/E.

Para o diretor de comunicação da Aerp e diretor executivo da massa FM, Luiz Benite, a pesquisa demonstra o que todos já sabem. “É só sair nas ruas, entrar nos comércios, olhar no carro das pessoas, todos estão ouvindo rádio. O que nos deixa feliz é que, agora, está comprovado com a chancela do Ibope. Isso facilita para o cliente anunciar no rádio. Se o anunciante ficar em dúvida a pesquisa vem e comprova a força do rádio”, ressaltou.

Audiência

Segundo a pesquisa, a audiência comportamental traz um novo olhar sobre o consumo dos meios. Com a evolução das métricas, agora é possível ir além dos dados demográficos para entender os públicos. Por exemplo, analisar quais os hábitos, preferências, opiniões, comportamento e consumo dos ouvintes de rádio.

Para Dora Câmara, diretora-executiva-comercial Brasil da Kantar Ibope Media, as informações contribuem para que anunciantes e agências estruturem de forma mais personalizada e efetiva suas campanhas no rádio. Em Curitiba, por exemplo, ouvintes gostam de sair para caminhar e vão fazer reformas nos próximos 12 meses. “Entender esses hábitos é fundamental para que as marcas segmentem suas ações”.

Os resultados também auxiliam os anunciantes a identificar possíveis oportunidades e nichos. Em Curitiba, por exemplo, os ouvintes são fiéis as marcas que gostam, procuram sempre estar atualizados profissionalmente e acham importante manter a forma física. “A pesquisa reforça o quanto o rádio pode ser segmentado para falar com vários públicos, agrega valor e frequência, além de disponibilizar informações qualitativas e quantitativas que baseiam essa decisão do anunciante”, finaliza Dora.

 

Publicidade no Rádio

O rádio é excelente para os negócios. Além de insights sobre o perfil demográfico do ouvinte, o estudo trouxe ainda informações sobre a compra de espaço publicitário no meio, incluindo principais categorias e anunciantes.

De janeiro a novembro de 2016, foram veiculadas 4,5 milhões de inserções publicitárias de 9.850 anunciantes diferentes, dos quais, 46% exclusivos do meio rádio.

Para Luiz Benite, quase metade dos comerciais foram veiculados somente no rádio e em nenhum outro meio de comunicação. “Quem anuncia no rádio tem resultado. É incrível a força atual do rádio”, conclui Benite.

 

AERP