ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Cadeia Pública de Pitanga é transformada em unidade exclusivamente feminina

90 homens que estavam presos em Pitanga foram transferidos para Guarapuava.

31/07/2020

A Cadeia Pública de Pitanga foi transformada em unidade de custódia exclusivamente feminina. Para tanto, todos os presos homens daquela unidade foram transferidos e presas d região foram levadas para o local. A mudança ocorreu nesta quinta-feira (30) e necessitou de uma grande operação de transferência entre unidades.

Durante o dia 90 detentos que estavam na unidade de Pitanga foram distribuídos entre duas unidades prisionais de Guarapuava.

“Por volta das seis horas, um comboio de viaturas removeu os 90 presos homens que estavam em Pitanga para a Cadeia Pública de Guarapuava e para a Penitenciária Industrial e Unidade de Progressão da Penitenciária Estadual”, explicou o coordenador regional do Departamento Penitenciário, Antonio Marcos Camargo de Andrade.

Depois, 51 mulheres preses em Manoel Ribas e Guarapuava foram levadas para Cadeia Pública de Pitanga.

A retirada dos detentos de Pitanga e a transferências das mulheres para a unidade foram feitas sob coordenação de agentes penitenciários do Setor de Operações Especiais (SOE) do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), com o apoio da Companhia de Choque e da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) do 16º Batalhão da Polícia Militar.

Covid-19

Antes de os presos serem definitivamente incorporados às novas unidades, todos - homens e mulheres - precisaram passar por um processo para evitar qualquer contágio de Covid-19.

“Todos passaram por um teste rápido para detectar o coronavírus e, da mesma forma, serão mantidos em galerias isoladas por mais de 14 dias”, disse o coordenador regional.

Segundo ele, foram seguidos rigorosamente os protocolos estabelecidos pelas Secretaria da Segurança e da Saúde. “Além da quarentena e dos testes, antes de receber as novas presas, a unidade de Pitanga passou por revista estrutural minuciosa e também foi completamente higienizada e desinfectada”.

Demanda

A ação já era uma demanda antiga do próproio depen e de familiares das detentas. “Estávamos com isso planejado há algum tempo, em vista de oferecer uma melhor custódia aos presos e, também, cumprir o que determina a Lei de Execuções Penais. Porém, por conta da pandemia, tivemos que adiar o plano por uns meses”, disse Antonio Marcos.

Operação

O comboio foi composto por nove viaturas do Depen (quatro de Guarapuava e duas de Francisco Beltrão e outras três viaturas do SOE de Francisco Beltrão) e quatro viaturas do 16º Batalhão da Polícia Militar (sendo três da Companhia de Choque e uma da Rotam). Ao todo, 19 agentes penitenciários e 14 policiais militares participaram da ação.

Outras mudanças

Outra unidade que agora passa por mudança de perfil de presos é a Cadeia Pública de Manoel Ribas. “Retiramos 22 presos do local - 16 homens e seis mulheres. A unidade agora passará servir como local de custódia de presos do seguro”, explicou o coordenador regional, Antonio Marcos. Estão previstas adaptações estruturais a serem feitas nas próximas semanas, em regime emergencial, tanto em Manoel Ribas quanto em Pitanga.

“Estas mudanças darão aos internos melhores experiências e mais oportunidades de mudança de vida, com estudo e trabalho. Temos certeza de que esses procedimentos e situações que estamos oferecendo aos presos mostrarão para eles que vale a pena ser um cidadão de bem, voltar à sociedade”, destacou Antonio Marcos.

Foto: Depden.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar