ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Para alcançar Alemanha, Guarapuava teria que aplicar mais 4500 testes de Covid-19

Prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho, disse que cidade vai ultrapassar Alemanha em número de testes de Covid-19 por habitante. No entanto, cidade ainda não tem material suficiente para massificar testagem.

27/04/2020

Na última sexta-feira (24), em coletiva à imprensa e transmissão simultânea em redes sociais, o prefeito Cesar Silvestri Filho (Podemos) afirmou que “Guarapuava vai ultrapassar a Alemanha em testes” para Covid-19. Para alcançar a marca alemã, no entanto, o município teria que aplicar 4537 testes, considerando uma população estimada de 181.504 pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Marca muito distante neste momento. 
Até a última quinta-feira (23) a cidade havia realizado 55 testes em pessoas monitoradas com suspeita da doença, segundo informou a RPC. Além desses, foram testados profissionais da saúde, mas a quantidade não foi divulgada.
Até a última sexta-feira a Alemanha - parâmetro do prefeito Cesar Filho - já havia testado 2.500 pessoas a cada cem mil habitantes, segundo fontes como o canal inglês BBC e a emissora alemã DW. Ou seja, se o mesmo percentual fosse aplicado em Guarapuava, seriam mais de 4500 testes.

Quantos testes temos?

A Prefeitura comprou R$ 120 mil em testes, com dispensa de licitação. Desse valor, somente R$ 13,611 foi gasto até o momento, segundo consta no Portal da Transparência. O edital não prevê a quantidade. Ainda que a prefeitura afirme que o valor vai comprar 3 mil testes, é impossível determinar a quantia. Isso porque as empresas importadoras só definem o preço quando o produto importado chega no país.
A variação de preço ocorre por pelo menos dois fatores, segundo empresas consultadas pela reportagem. Um deles é a variação do dólar. Mas o principal fator é a inflação gerada pela grande demanda. 
Além disso, muitos fornecedores estão com dificuldade para entregar o produto, em falta pela grande demanda mundial. 
O próprio secretário de saúde de Guarapuava, Celso Góes, afirmou na semana passada que a cidade largou na frente mas não sabe se a indústria irá entregar todas as compras. “Nós ainda temos teste, não quer dizer que termos lá na frente, tudo depende das indústrias, se vão conseguir entregar”, disse à Rádio Cultura. 

Testes do estado 

Além desses, que foram adquiridos pelo município e ainda serão entregues, o estado enviou testes rápidos.  Na última quarta-feira (22) o secretário de saúde de Guarapuava, Celso Goes, disse à rádio Cultura que a cidade recebeu mil testes do Estado, que são os mesmo do Ministério da Saúde. Já a assessoria de comunicação anunciou que eram 800, em nota no site da prefeitura.

Somadas todas as quantidades anunciadas para Guarapuava, ainda faltariam mais de 500 testes para igualar a marca alemã. Como o país europeu continua testando sua população, vai se distanciar ainda mais e Guarapuava teria que conseguir mais testes para alcançar e, com prometeu o prefeito, ultrapassar a Alemanha.

Velocidade da testagem

Além da quantidade, tem a questão do tempo em que os testes serão feitos. Segundo os especialistas, eles devem ser realizados em massa antes de crescimento dos casos. Feita com antecedência a testagem por ajudar efetivamente no combate à doença. 
Os resultados em massa podem oferecer aos gestores públicos um retrato preciso da dinâmica da pandemia e dados baseiam a ação do governo. Com boa quantidade de testagem também pode orientar o isolamento de contaminados e evitar que eles passem o vírus para outas pessoas.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar