ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Operação do Ibama interrompe desmatamento ilegal em floresta de araucária no Paraná

Dano atingiu cerca de 250 hectares de mata atlântica preservada.

10/04/2020

Agentes do Ibama apreenderam três tratores, uma retroescavadeira, duas caminhonetes e duas motosserras durante ação de combate ao desmatamento ilegal em floresta de araucária no município de Paula Freitas, no Paraná, distante 200 km de Guarapuava. Dez infratores que agiam a serviço de uma empresa florestal influente na região foram identificados.

Os danos atingiram Área de Preservação Permanente (APP) e espécies ameaçadas de extinção, como araucária, canela, cedro e xaxim. Parte da floresta era alvo de corte seletivo. Em outro trecho, a destruição ocorria a corte raso, com uso de maquinário pesado. Dois tratores apreendidos apresentavam as mesas características de equipamentos empregados em desmates de grandes dimensões na Amazônia, como esteira e lâmina frontal. De acordo com a investigação, a floresta nativa seria reflorestada espécies exóticas, como pinus.

A operação foi planejada a partir da análise de imagens de satélite que apontaram danos à floresta em cerca de 250 hectares.  Em campo, os agentes ambientais encontraram uma cova aberta com grande quantidade de toras de araucária, que seriam enterradas para ocultar as atividades ilegais.

A região centro-sul do Paraná abriga os últimos remanescentes de floresta de araucária do estado. Dados do Ministério do Meio Ambiente (MMA) apontam que apenas 0,8% da vegetação em estágio avançado de regeneração permanece em pé. O local onde ocorreu a operação integra o bioma Mata Atlântica, mais especificamente floresta com araucária, que apresenta um dos maiores índices de destruição do país. O Paraná é o segundo estado no ranking de desmatamento da Mata Atlântica.

A equipe de fiscalização retornará ao local nos próximos dias para exame detalhado dos danos causados e conclusão dos procedimentos administrativos. A operação foi planejada a partir da análise de imagens de satélite que apontaram danos à floresta em cerca de 250 hectares.  Em campo, os agentes ambientais encontraram uma cova aberta com grande quantidade de toras de araucária, que seriam enterradas para ocultar as atividades ilegais.

A região centro-sul do Paraná abriga os últimos remanescentes de floresta de araucária do estado. Dados do Ministério do Meio Ambiente (MMA) apontam que apenas 0,8% da vegetação em estágio avançado de regeneração permanece em pé. O local onde ocorreu a operação integra o bioma Mata Atlântica, mais especificamente floresta com araucária, que apresenta um dos maiores índices de destruição do país. O Paraná é o segundo estado no ranking de desmatamento da Mata Atlântica.

A equipe de fiscalização retornará ao local nos próximos dias para exame detalhado dos danos causados e conclusão dos procedimentos administrativos.

Fonte: Ibama.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar