ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Processo administrativo vai apurar policiais militares de Guarapuava acusados de intimidar agricultores

Comando do 16º Batalhão de Polícia Militar confirmou denúncia de moradores da região do Guará.

30/11/2019

Ouça no player.

Reportagem Cléber Moletta.

Três policiais do 16º Batalhão de Polícia Militar vão responder um processo administrativo por supostamente atuarem sem autorização do comando em abordagens a agricultores no interior de Guarapuava. Os três PMS foram denunciados por moradores da região do Guará nesta sexta-feira (29), quando o processo administrativo foi instaurado.

“Tivemos a reclamação de alguns habitantes que se sentiram constrangidos uma vez que existiam, segundo eles, alguns policiam militares fazendo levantamentos na área”, disse à Rádio Cultura o Major Cubas, comandante do 16º BPM.

“Já instauramos uma procedimento administrativo para levantar quem são esses policiais militares e o que eles estavam fazendo lá, uma vez que não existe autorização do comando para eles estarem lá”, completou Cubas.

A reportagem da Rádio Cultura ouviu os moradores que fizeram a denúncia (ouça no player). Os relatos são de que uma pessoa vai até as propriedades e aborda os moradores afirmando ter adquirido as áreas em leilão. Acompanhado por supostos policias eles intimidam os agricultores afirmando que o local sofrerá uma reintegração de posse e os moradores devem sair do lugar.

Na tarde de quinta-feira (28) um grupo de moradores enfrentou o suposto comprador das áreas acompanhado dos supostos policiais. Eles cercaram o grupo e não permitiram que eles saíssem da área e obrigaram todos a se identificarem. Não houve confronto. Depois dessa atitude os moradores fizeram a denúncia ao comando da Polícia.

O comando do 16º BPM confirmou que algumas ações legais foram realizadas no local, com policiais fardados e viaturas de policiamento ostensivo, identificadas com as marcas da PM.  

O nome dos policiais será preservado até o final das investigações. Os depoimentos dos moradores já foram ouvidos e o dos policiais ainda será colhido.

Punição

No prazo de 45 dias o procedimento administrativo deve ser concluído. Nesse período os policiais terão prazo para apresentarem defesa. As eventuais punições, caso os fatos sejam confirmados, podem variar de sanções administrativas a ações penais.

Conflito

O local onde supostamente os policiais agiram sem autorização do comando é uma área de conflito fundiário. São cerca de 7 mil hectares de terra do espólio Elias J. Curi. A antiga madeireira faliu e ao menos desde o final dos anos 1990 são frequentes invasões e comercialização de posses no local. Além disso as Justiças Federal e do Trabalho realizam leilões dos terrenos para angariar recursos e pagar dividias trabalhistas e de tributos deixadas pela antiga madeireira.

Essas terras estão na região da Serra da Esperança, uma área de preservação ambiental e onde estão várias nascentes de água, inclusive do Rio das Pedras, que abastece Guarapuava. Com o conflito, no entanto, a preservação da área está comprometida e diversos crimes ambientais são registrados na região.

Anexo [download]

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar