ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Seminaristas da Diocese de Ponta Grossa serão ordenados diáconos domingo

Alexandre, Rafael e Rodrigo a caminho do sacerdócio.

26/04/2019

Em uma celebração neste domingo (28), na Catedral Sant’Ana, em Ponta Grossa, o bispo dom Sergio Arthur Braschi fará a ordenação diaconal dos seminaristas Alexandre Spena Regueira, Rafael Moreira e Rodrigo Ribas. A cerimônia está marcada para às 15 horas e será transmitida em tempo real pelo Facebook da Diocese de Ponta Grossa. As celebrações de ordenação sacerdotal se iniciam em agosto. Alexandre Spena será ordenado dia 4; Rafael Moreira, no dia 15 de agosto, e,  Rodrigo Ribas no dia 1º de setembro.

Alexandre Spena tem 40 anos e é natural de Castro. Rafael Moreira nasceu em Piraí do Sul e Rodrigo Ribas, em Irati. Os dois têm 27 anos. As ordenações sacerdotais acontecem nas cidades de origem dos seminaristas. Para Alexandre, a vocação nasceu a partir de uma experiência da família na Igreja. “Gerou em mim uma inquietude e eu quis responder e não sabia qual a resposta eu deveria dar. A cada etapa, cada vivência que tivemos no seminário nós fomos nos conhecendo e conhecendo mais a Deus na nossa vida e a ação Dele”, afirma, considerando o diaconato um serviço a Deus e que tem as diretrizes aos irmãos.

Rafael Moreira considera o ministério diaconal a forma inspiradora de ser tornar canal da graça de Deus. Segundo ele, ao olhar para sua história, esses quase dez anos de seminário, percebe que quem foi o canal da graça da vocação na sua vida  foi o pai. “Por um tempo, parei de ir a igreja, de ir à missa, de buscar as coisas de Deus. E, após três anos, voltei, para ser colega dele, para ir com ele aos encontros, como devolução de todo o amor que ele tinha me concedido durante a minha vida”. O tempo de preparação, diz, serviu para mostrar que nunca se chega a um fim, mas ao começo de uma nova etapa, de uma vida nova.

O iratiense Rodrigo Ribas lembra que a primeira resposta ao convite de ir conhecer um seminário foi negativa. “Mas, ao voltar para casa, colocar a cabeça no travesseiro, a pergunta ecoava. Fiquei um tempo protelando. Até que um dia decidi dar esse passo, tomar um passo de coragem e ir conhecer o seminário”, enfatiza. O diácono para Rodrigo é o homem do serviço, o homem do altar, da Palavra, da caridade. “A vivência disso tudo vai configurar o ser diácono na minha vida”.

A ordenação destes três jovens deram um novo ânimo para a Igreja, destaca o coordenador diocesano da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação Vocacional. padre Osvaldo Pinheiro. “Por um lado, há a graça ter boas vocações, ainda que não tenha muitas, no sentido de não ter todos os anos. Ainda assim,  vejo a qualidade dos vocacionados porque para os desafios de hoje o nível da resposta vocacional dos jovens tem de ser a altura do nosso tempo”, avalia o padre. Depois de 2019, a Diocese de Ponta Grossa ficará um ano sem ordenações. Em 2021, ganhará um único sacerdote, e, ficará dois anos, novamente, sem ordenações.

Conforme padre Osvaldo, a Diocese conta com o Seminário Menor Mãe de Deus, em Irati, que corresponde ao Ensino Médio, onde o foco é o estudo. O Seminário Propedêutico Mãe da Divina Graça, em Carambeí, abriga os jovens de até 27 anos, que terminaram o Médio. Depois, vem o Discipulado, a Filosofia, e, a Configuração, a fase acadêmica da Teologia. A formação envolve três anos no Discipulado, quatro de Teologia e o estágio pastoral. Atualmente, há dez  jovens no Seminário Menor, sete no Propedêutico, nove no Discipulado e um na Configuração. “Neste processo, tem de ter crescimento em todas as dimensões. Não é porque entrou no seminário que vai ser padre”, explica, citando que não só os jovens abandonam a preparação como também podem ser convidados a sair. “O discernimento tem que funcionar”.

 

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar