ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Quase 60% das rádios do país estão inadimplentes

Informação é da UBC - União Brasileira de compositores. Dívida total, de pagamento de direitos autorais, beira os R$ 7 milhões entre janeiro e outubro de 2018.

10/01/2019

A inadimplência das rádios brasileiras bateu um novo recorde em 2018, a despeito dos esforços do Ecad e das suas associações para tentar selar acordos que ponham fim a essa situação. Segundo a UCB - União dos Compositores Brasileiros, de janeiro a outubro, último mês com dados disponíveis, um total de 59,7% das emissoras nacionais tinham algum tipo de valor em aberto com o escritório central. Na última vez em que o site da UBC publicou uma reportagem sobre o problema, em setembro de 2016, o percentual era algo menor: 58,3%.

Se retiradas as rádios comunitárias da lista — cujo índice de inadimplência é historicamente alto, mas cuja dívida total em reais é relativamente baixa, devido aos valores menores que elas devem pagar —, a taxa de atraso de pagamentos continua elevada: 41,7% das rádios comerciais de Norte a Sul do Brasil estão inadimplentes.

Em valores monetários, o total devido por todas as rádios inadimplentes brasileiras, comerciais e comunitárias, alcança R$ 6.777.160,00. Somente as comerciais devedoras têm R$ 5.990.964,00 em aberto. 

No último mês de junho de 2018, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara do Senado aprovou a continuidade da tramitação de um projeto de lei (PLS 55/2016) que permite às rádios comunitárias e educativas veicular anúncios publicitários pagos. Desde então, o projeto continua parado, sem previsão de votação em plenário. A expectativa é que uma eventual aprovação da extensão aumente a receita dessas emissoras e possa pôr fim a décadas de inadimplência. 

A UCB publicou em seu site a relação das emissoras de rádio pagantes e das devedoras. As duas listas foram atualizadas até outubro de 2018, com todas as estações de rádio brasileiras elencadas. 

 

UCB

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar