ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Fotógrafo Cafi morre no Rio de Janeiro aos 68 anos

02/01/2019

O fotógrafo e artista plástico Carlos Filho, mais conhecido como Cafi, morreu aos 68 anos na madrugada desta terça-feira (1º), no Rio de Janeiro.

Cafi sofreu um infarto enquanto passava a virada do ano na Praia do Arpoador, na Zona Sul da cidade. Cafi chegou a ser socorrido, ainda na areia, e depois foi levado ao Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu.

Filho do fotógrafo com a coreógrafa Deborah Colker, o artista Miguel Colker, de 32 anos, falou com o pai pela última vez às 19h do dia 31, ao responder mensagem enviada por Cafi, mais cedo, na qual o fotógrafo desejava feliz ano novo.

Às 2h10, uma amiga de Cafi que também estava na virada na praia ligou para Miguel comunicando o falecimento do artista. 

Além de Miguel, Cafi deixa as filhas Joana e Clara. A família ainda discute quando e onde será o velório e sepultamento do artista plástico. Provavelmente, segundo Miguel, a cerimônia deve ocorrer na quinta-feira (3).

Nascido em 1950 no Recife, em Pernambuco, Cafi produziu, entre as décadas de 70 e 90, mais de 260 capas de discos artistas e bandas brasileiras.

São obras dele, por exemplo, capas do Clube da Esquina (1 e 2); Geraes, Minas, Milagre dos Peixes, (Milton Nascimento); Vai Passar e Cio da Terra (Chico Buarque); Vento Bravo (Edu Lobo); e outras de Beto Guedes; Geraldo Azevedo; Nana Caymmi; Toninho Horta; Fagner; Sarah Vaughan; Francis Hime; Jards Macalé; Turibio Santos; Cristina Buarque; Lô Borges; Blitz; Alceu Valença etc.

(Fonte: G1)

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar