ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Quedas do Iguaçu: Padre Jozef Wojnar celebra 60 anos de vida sacerdotal

Uma missa em ação de graças na matriz foi o ponto alto dos festejos que contou com a presença de centenas de pessoas da comunidade, além de padres e religiosas de diversas regiões.

25/04/2018

A paróquia Imaculado Coração de Maria, de Quedas do Iguaçu, viveu momentos de muitas alegrias no dia 22 de abril. Na ocasião, o padre Jozef Wojnar, da Congregação Sociedade de Cristo (SCHR), comemorou 60 anos de vida sacerdotal, o jubileu de diamante.

Uma missa em ação de graças na matriz foi o ponto alto dos festejos que contou com a presença de centenas de pessoas da comunidade, além de padres e religiosas de diversas regiões que também celebraram o momento importante para o sacerdote.

Muitas foram as manifestações de amor, respeito e carinho para com o padre que nasceu, estudou e abraçou a vida presbiteral na Polônia, mas que adotou o Brasil como seu verdadeiro lar.

O provincial da Congregação à qual padre Jozef pertence, padre Kazimierz Dlugosz, agradeceu ao sacerdote pelas seis décadas de dedicação à Igreja. “O trabalho do padre Jozef é um verdadeiro presente para a Igreja e para as comunidades por onde ele passou. Neste momento, rogamos a Deus pela sua saúde e pela sua bondade. O sacerdócio requer dedicação, perseverança, mas, sobretudo, amor. Amor para com Deus, para com a Igreja, para com os irmãos. E isso é notável em padre Jozef”, homenageou o provincial.

Para o pároco de Quedas do Iguaçu, padre André Wojteczek, trabalhar com padre Jozef é sempre uma oportunidade de aprender mais sobre a vivência pastoral e sobre o amor. “Eu tenho o privilégio de conviver com padre Jozef e, todos os dias, aprender coisas novas sobre a Igreja, sobre as pessoas e sobre o amor. Sem amor, sem gestos concretos, nada brota, nada floresce”, considerou o pároco.

Padre Itamar Abreu Turco, coordenador da Ação Evangelizadora da diocese de Guarapuava, também participou da missa em homenagem ao padre Jozef e destacou sua dedicação e compromisso para com os trabalhos pastorais como uma verdadeira preciosidade. “Padre Jozef é um tipo de pessoa rara. Quando se propõe a fazer um trabalho, ele se dedica de corpo e alma. Já trabalhei com ele por várias vezes e os resultados sempre foram muito além do esperado. Celebrar os 60 anos de vida sacerdotal de padre Jozef é uma verdadeira bênção, um exemplo a ser seguido”, afirmou padre Itamar.

Também estiveram presentes na celebração, os padres Marcelino Siwinski, Roberto Luz Preczewski, Pawel Borysiewicz, Wieslaw Morawski, e Marek FigurskiI.

“Nossa comunidade se sente honrada e feliz por celebrar este momento importante junto com padre Jozef, pelos seus 60 anos de vida sacerdotal. Cada pastoral, cada movimento, além de grupos de nossa cidade felicitaram o sacerdote por este jubileu. Desejamos que esta festa continue, pois é um momento de muita motivação e agradecimento. Após a celebração, convidados e paroquianos puderam continuar em clima de ação de graças, participando do almoço festivo, seguido do bolo de aniversário no salão paroquial. O público presente pôde prestigiar uma lindíssima apresentação do Grupo Folclórico Polonês Jagoda”, relatou Edina Maria Nunes de Faria, agente da Pastoral da Comunicação (Pascom) na paróquia.

SOBRE O PADRE

Padre Jozef Wojnar, nasceu no dia 11 de março de 1932, em Zolynia, Polônia.

Filho de Inácio Wojnar e Salomea Kielb. Em 1950 ingressou na Sociedade de Cristo. Realizou os estudos de filosofia e de teologia nos anos 1951-1958 no seminário maior da Congregação. No dia 20 de abril de 1958 foi ordenado sacerdote em Poznan, na Polônia. Após a ordenação trabalhou na paróquia de Gryfice (1958-1961). A seguir desempenhou o ministério pastoral em Goleniów e Szczecin (1962-1963). No dia 02 de março de 1964 veio ao Brasil. No período de 30 de março a 30 de novembro de 1964 trabalhou como vigário na paróquia de Dom Feliciano (RS). De 01 de outubro de 1964 a 30 de julho de 1965 exerceu a função de capelão dos irmãos maristas e ao mesmo tempo fez um curso de língua portuguesa em Mendes (RJ). Por mais de seis meses foi vigário em Guarani das Missões (RS). Nos anos 1966-1981 exerceu o trabalho de pároco em Dom Feliciano. Nesse período, sob a sua supervisão, foi ampliada a igreja paroquial, bem como foi realizada uma reforma geral no interior do santuário. Graças aos seus empenhos foram construídas capelas e dois salões para fins pastorais e culturais. Além do trabalho pastoral, desenvolveu atividades sociais. Organizou cursos de aperfeiçoamento e comemorações de aniversários e datas históricas. Fundou uma associação agrícola, bem como se empenhou na construção da casa do imigrante e do monumento ao imigrante polonês em Dom Feliciano. Como prova de reconhecimento pelos trabalhos realizados, recebeu o título de cidadão honorário de Dom Feliciano. E por ter participado ativamente nas comemorações do centenário da imigração polonesa recebeu do governo do Estado do Rio Grande do Sul a medalha de prata do mérito.

Nos anos 1975-1976 fez curso de filosofia na Universidade de Passo Fundo, onde obteve o grau de mestre. Nos anos 1981-1990 foi pároco em Áurea (diocese de Erechim). Por sua iniciativa surgiu um conselho social para o desenvolvimento da região de Áurea. Graças aos empenhos de padre Jozef Wojnar, foram construídas diversas capelas, dois centros de catequese e pastoral e o Hospital João Paulo II. Com o objetivo de elevar o nível da agricultura, empenhou-se pela criação de uma escola agrícola em Áurea. Incentivou o surgimento do grupo folclórico “Auresovia”. Por alguns anos apresentou um programa semanal em língua polonesa na rádio de Gaurama. No dia 28 de fevereiro de 1984 recepcionou na paróquia o cardeal José Glemp, Primaz da Polônia. Padre Wojnar esteve envolvido nos esforços pela emancipação política da região. Áurea obteve os direitos de município, tornando-se assim uma unidade administrativa independente. As autoridades municipais conferiram ao sacerdote Jozef Wojnar o título de cidadão honorário.

Nos anos 1989-1995 exerceu a função de provincial da Sociedade de Cristo na América do Sul. Na casa provincial organizou um arquivo de materiais relacionados com a imigração polonesa no Brasil. Em 1993 tornou-se sócio do Instituto Histórico- Geográfico e Etnográfico em Curitiba. Nos anos 1995-1997 realizou na Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, um curso de especialização em língua e cultura polonesa. Para a conclusão desses estudos escreveu a monografia A febre brasileira – suas causas e sua imagem nas obras de Adolf Dygasinski e de Maria Konopnicka. Nos anos de 1996-1998 foi pároco em Benedito Novo (SC). Em setembro de 1998 foi nomeado pároco de Quedas do Iguaçu (primitivamente chamada Jagoda), no Estado do Paraná. De diversas instituições recebeu diplomas de reconhecimento pela diversidade dos trabalhos realizados 87.   

Diopuava

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar