ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Câmara rejeita projeto de reajuste para servidores públicos de Prudentópolis

Professores se sentiram prejudicados porque reajuste do Piso Nacional não considerava todos os níveis da carreira.

05/03/2018

Os vereadores de Pudentópolis rejeitaram o projeto de lei que autorizava o município a conceder reposição salarial de 2,06% aos servidores públicos municipais e de 6,81% para professores, seguindo a correção estabelecida pelo Ministério da Educação e que deve ser aplicada por todos os municípios brasileiros. A sessão foi realizada na semana passada (27/02). A polêmica está na aplicação do reajuste aos professores.

Pela proposta rejeitada, os professores teriam o índice de reajuste de 6,81% apenas para o salário base. Dessa forma, o profissional que está a mais tempo em sala de aula e já avançou na carreira e que recebe mais que o piso, teria o reajuste de 6,81% aplicado somente para parte do salário. A proposta vai contra o que estabelece o plano de carreira do município, segundo a APP Sindicato, que representa os servidores da educação municipal de Prudentópolis.

“O plano de carreira de Prudentópolis garante os percentuais entre os níveis e as classes, o município propôs uma lei que vai contra outra lei, os professores não teriam como concordar, por isso foram para Câmara e pediram para que os vereadores não aprovassem”, explicou Tatiana Nanci da Maia, da APP Sindicato,.

O executivo municipal deve mandar um novo projeto para Câmara. A primeira proposta de reposição foi analisada em regime de urgência, por isso não poderia sair da pauta. Além disso, os vereadores não poderiam alterar os valores, pois essa é uma prerrogativa exclusiva da prefeitura.

A reportagem da Rádio Cultura procurou a secretária de Educação do município, Audea Naconechem Volanin, mas ela não atendeu as ligações.

Negociação

A categoria se reúne no próximo dia 14 para conversar com o prefeito Adelmo Klosowski. Nesse mesmo dia os cerca de 400 professores do município se reúnem em assembleia para tratar do tema. “Não posso deixar de dizer que existe a possibilidade da categoria entrar em greve, porque vai depender de qual o diálogo que nós vamos ter com o prefeito”, disse Tatiana.

Demais servidores

Como a prefeitura mandou um único projeto de lei contemplando todas as carreiras, a rejeição adiou o reajuste de todos os servidores. A data base das categorias é 1º de janeiro e o reajuste que for estabelecido em lei deverá ser pago retroativamente.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar