ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Carli Filho pede desculpas e diz que "jamais poderia imaginar que aquele carro passaria na minha frente"

Fala de Carli Filho fechou primeiro dia de júri e explorou principais pontos da defesa.

27/02/2018

“Eu errei, foi o maior erro da minha vida, um erro que teve consequências graves”, disse Carli Filho logo no início do seu depoimento. Em um dos momentos mais esperados do primeiro dia de júri, o ex-deputado também pediu desculpas para as mães das vítimas e seguiu a linha da defesa, que tenta mudar o tipo de crime, de dolo eventual para culposo.

A denúncia contra Carli Filho é de que ele cometeu um duplo homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. Diferente de homicídio culposo, quando a morte é resultado de uma ação não desejada, fruto de um acidente. A pena no primeiro caso varia de 6 a 20 anos. No segundo caso, de 2 a 4.
A fala de Carli Filho hoje está orientada nesse sentido. Além de dizer que não teve intenção, reforçou o argumento usado pela defesa de que o caro atingido cruzou a sua frente. Além disso ele falou que nunca teve a intenção de matar.
“Eu jamais poderia prever que aquele carro passaria na minha frente, ninguém poderia imaginar que um caro atravessaria na sua preferencial ”, disse. 
Esse é um ponto bastante explorado pela defesa, que sustenta que o carro dos jovens mortos causou o que consideram um acidente.
“Eu sei que eu nunca tive a oportunidade de pedir desculpas para Christiane e para Vera. Quero hoje poder pedir desculpas pelo que eu causei”, disse demonstrando emoção.


Pedido de desculpas


Vera, mãe de uma das vitimas, não falou na saída do primeiro dia de júri. Christiane Yared fez declarações. Ela disse que esperava um abraço de Carli Filho.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar