ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Nova gestão do CAD promete time competitivo, mas com ‘pés no chão’

Na tarde dessa segunda-feira (12) o novo Grupo Gestor detalhou como será a formação do elenco e comissão técnica e quais as metas para administração financeira nessa temporada.

12/02/2018

Os membros do novo Grupo Gestor do Clube Atlético Deportivo (CAD) foram apresentados à imprensa nessa segunda-feira (12). Dentre os desafios para os diretores que assumem o clube estão montar um time competitivo, mesmo com perspectiva de orçamento baixo, e sanar dívidas. O compromisso, no entanto, é trabalhar com equilíbrio financeiro, montar um time competitivo e recolocar o time em posição de destaque em um curto prazo.

“Grupo novo, ideias novas, e a gente vai fazer o máximo para colocar mais uma foto bonita na história do CAD”, destacou o novo presidente, Anderson Gnap. Ele ressaltou que precisará do apoio dos empresários e do torcedor na tarefa que chamou de ‘reconstrução’ do clube.

O comando técnico da equipe já está definido. Foca, que encerrou a temporada 2017 no clube, permanece como treinador. Nenhum atleta foi contratado até o momento e não há nenhum remanescente da temporada passada. Uma seletiva está sendo realizada até sexta-feira (16). Somente depois da seletiva iniciam as contratações.

“O objetivo é trazer dessa seletiva entre 4 e 5 atletas para equipe principal, o que já seria muito viável para o clube”, disse Jocemar de Proêncio, o Japa, da supervisão e diretoria técnica do CAD. Segundo ele o elenco deve ter entre 16 e 19 jogadores.

O Campeonato Paranaense de Futsal começa em abril, a reunião de arbitral que definirá as datas e forma de disputa será dia 17 de fevereiro. Por isso o grupo considera que há tempo para contratação dos jogadores e realização dos trabalhos.

O preparador físico Luan Diego Carneiro e o roupeiro e auxiliar Juliano Nunes também foram confirmados na comissão técnica.

Orçamento

Um dos pontos centrais para iniciar a contratação de atletas é definir primeiro qual será o orçamento disponível em 2018. Serão duas fontes principais: empresas apoiadoras e torcedor colaborador. Quanto à primeira forma de arrecadação, ainda não há um número de empresas fechadas. A gestão, no entanto, não esconde que há dificuldades em negociar espaços com empresas.

“Não fechamos [o orçamento] ainda, até pela dificuldade de fechar com os empresários, é difícil falar alguma coisa sobre valores agora e não chegar no objetivo depois”, informou o presidente Anderson Gnap.

Como novidade o clube está fazendo uma aposta esse ano para ter 200 Torcedores Colaboradores (Conheça mais aqui). Além de levar o torcedor para o ginásio, o projeto dá uma garantia de receita de bilheteria ao clube, permitindo a organização financeira. Mesmo a dois meses do início dos jogos já existe um número de 50 pessoas que aderiram.

A decisão da diretoria é não extrapolar o orçamento e gastar somente o que for garantido nas receitas.

Dívidas

O Grupo Gestor confirmou, durante a entrevista, que existem dívidas remanescentes que precisarão ser saldadas. A diretoria, porém, se reservou no direito de não detalhar valores. Apenas disse que na maioria dos caos são pendências com atletas e diretores, mas que se trata de uma dívida ‘pagável’.

Prefeitura

Parceira do clube há vários anos, a Prefeitura irá permanecer apoiando o CAD em 2018. Segundo os membros da gestão, a contra partida do clube é disputar os Jogos da Juventude e Jogos Abertos representando a cidade.

Liga

Depois de cinco anos recebendo os melhores atletas do futsal brasileiro no Joaquinzão, o CAD deixa de disputar a Liga. Mesmo não sendo o foco da coletiva, os gestores esclareceram novamente os motivos da saída. A vaga que era ocupada pelo CAD vai ser usada pelo Foz do Iguaçu (Sobre a saída da Liga, leia mais aqui).

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar