ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Agricultores acusam Polícia Militar de ameaçá-los. PM diz cumprir medidas judiciais

Moradores do acampamento 20 de novembro relatam ameaças de Policiais Militares, para que deixem a área. Polícia confirma ação, mas diz estar orientando moradores.

10/11/2017

Ouça a matéria no player.

Moradores do acampamento 20 de Novembro dizem estar sendo ameaçados  por Policiais Militares e pessoas que dizem ter comprado as terras onde eles moram. Segundo relatos dos agricultores, tanto PMs quanto civis pedem para que eles deixem a área, que será desapropriada. A polícia confirma a ação, mas diz agir na legalidade.

O 20 de novembro é uma área ocupada desde 2004, que fica na região do Guará. A posse é de cerca de 150 famílias, que moram e trabalham no local. A propriedade, com documento das terras, no entanto, é uma grande controvérsia (clique aqui e aqui e saiba mais sobre o assunto).

O relato dos moradores é que uma caminhonete preta, acompanhada de uma viatura identificada da polícia militar, passa pelas propriedades tirando fotos. Em uma dessas abordagens, no dia 14 de outubro, a pessoa que estava na caminhonete preta, informava que havia arrematado a área em leilão e dando prazo para que eles saíssem do local.

Não se sabe se somente policiais militares estão indo no local. Um casal de moradores registrou um boletim de ocorrência denunciando um homem que foi até a propriedade ameaçá-los. Segundo eles, um homem que se dizia do INCRA esteve na casa deles.

No player você pode ouvir o relato dos moradores da região.

Versão da Polícia

A Polícia Militar confirmou, em nota, que esteve no local “fazendo orientações aos moradores quanto a reintegração que estava prevista para o dia 30/10/17, que não foi realizada devido à Ordem Judicial de suspensão”. A PM também informa que foi chamada por funcionários da empresa que disse ter comprado a área. Eles alegaram ter sofrido ameaças de moradores enquanto faziam um levantamento da área para reintegração de posse.

No dia 12 de outubro ocorreu um confronto na área. Segundo o relato da polícia, desde às 8h30 da manhã os policiais estavam no local e às 17 horas foram abordados por cinco homens armados que mesmo após os pedidos não largaram as armas e fizeram disparos. Do confronto, um homem foi baleado. Outro foi levado para delegacia por ter um mandado em seu desfavor.  A polícia apreendeu uma arma no local.

Nota da PM

Com relação ao pedido de informações referente às ações da Polícia Militar no Distrito do Guará, na área conhecida como Assentamento 20 de Novembro, o 16° Batalhão de Polícia Militar informa: 
Atualmente a área encontra-se e, litígio judiciário e recentemente a Policia Militar foi notificada quanto a reintegração de posse de parte da área.
Durante o mês de outubro de 2017, a Polícia Militar foi acionada por funcionários da empresa que adquiriu a posse das terras, sendo que estes, quando estiveram no local para realizar o levantamento da área para a reintegração, foram ameaçados por moradores. 
Conforme consta no relatório, postado diariamente para a imprensa eBoletim de Ocorrência Unificado, no dia 12/10/2017, houve confronto na área, onde equipes da Polícia Militar foram surpreendidos por cinco homens, moradores da região, de posse de armas longas.
Após o confronto, a Polícia Militar esteve novamente na área, inclusive fazendo orientações aos moradores quanto a reintegração que estava prevista para o dia 30/10/17, a qual não foi realizada devido à Ordem Judicial de suspensão da reintegração.
Toda as ações da Polícia Militar desenvolvidas naquela região estão sendo feitas dentro da legalidade, com amparo judicial. 

Guarapuava, 09 de novembro de 2017

SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Galeria de Fotos

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar