ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Paróquia Nossa Senhora de Fátima promove formação para integrantes da MDJ

Os trabalhos missionários buscam envolver toda a comunidade em prol da renovação dos compromissos cristãos e humanos. A primeira etapa da MDJ começa em janeiro de 2018.

01/11/2017

A equipe da Missão Diocesana Juvenil (MDJ) da paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Guarapuava, promoveu um encontro de formação dos “padrinhos” e “anjos” que atuarão nas duas etapas da Missão, realizadas no mês de janeiro de 2018 e de 2019, respectivamente, naquela comunidade.

Na ocasião, conforme a coordenação; houve troca de experiências entre os participantes da MDJ 2016 e 2017, realizada na paróquia Santo Antônio de Pádua, em Rio Bonito do Iguaçu. Mais de 160 jovens das diversas paróquias da diocese de Guarapuava participaram das duas etapas dos trabalhos missionários e visitaram moradores das quase cinquenta comunidades que fazem parte daquela paróquia.

Na paróquia Nossa Senhora de Fátima, o objetivo é realizar trabalhos missionários no ambiente urbano, um dos grandes desafios, segundo a comissão organizadora.

PADRINHOS E ANJOS

Em se tratando de MDJ, os “padrinhos” sãos pessoas da comunidade (em sua maioria casais) que dão assistência aos jovens missionários durante os dois anos de trabalho.

Os “anjos”, por sua vez, são outros jovens da comunidade, em sua maioria crismados ou que estejam em fase de receber o sacramento da crisma, que percorrem o trajeto junto com os missionários e lhes prestam assistência. Os “anjos” colaboram com material de apoio e também auxiliam nos momentos de oração e conversa com os moradores.

SOBRE A MDJ NA PARÓQUIA

Em janeiro de 2018, a paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Guarapuava, acolhe a sétima edição da Missão Diocesana Juvenil (MDJ). Os trabalhos missionários de visita aos moradores no território da paróquia são desenvolvidos na primeira semana de janeiro, período de férias estudantis e duram dois anos.  A sexta edição do evento foi realizada na paróquia Santo Antônio de Pádua, em Rio Bonito do Iguaçu nos anos de 2016 e 2017.

O intuito dos trabalhos missionários é envolver toda a comunidade em prol da renovação dos compromissos cristãos e humanos. A ideia, conforme a Pastoral Juvenil; é promover discussões e desenvolver projetos que beneficiem a comunidade que recebe a missão em seus vários setores. Também de acordo com a Pastoral, há um crescimento expressivo para os jovens missionários com base na convivência e percepção de valores humanos.

“A cada edição dos trabalhos, há um grande aumento no número de jovens querendo participar. Isto nos alegra, mas também nos aponta que precisamos ter responsabilidades e compromissos firmes em relação às tarefas”, contou Felipe Geraldo Madureira, coordenador da Pastoral Juvenil na diocese.

Para o administrador da paróquia Nossa Senhora de Fátima, padre Carlos Oliveira Egler, acolher a MDJ na comunidade é sinônimo de grande satisfação, pois conforme grifa, é uma oportunidade única e valiosa para se praticar a evangelização e promover a partilha junto às pessoas. “A MDJ é uma proposta evangelizadora que envolve a juventude, a família e a comunidade. São doze anos de missão em nossa diocese e já podemos contabilizar, com alegria, seus resultados positivos. Toda missão injeta novo ânimo nas comunidades que, desde os encontros de preparação para os trabalhos, vive intensamente a partilha, a solidariedade e a perseverança”, observou o sacerdote.

De acordo com a coordenação da MDJ na paróquia, há uma grande expetativa por parte dos integrantes das Pastorais e Movimentos em relação ao início dos trabalhos no mês de janeiro de 2018. 

 

Diopuava

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar