ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook twitter youtube

Conta de luz no Paraná ficará 11,88% mais barata em abril

Consumidores pagaram em 2016 encargo indevido referente à usina nuclear de Angra III. No estado, Copel atende a 4,5 milhões de unidades consumidoras.

29/03/2017

A conta de luz dos paranaenses atendidos pela Copel deve ficar 11,88% mais barata em abril. A redução está atrelada ao desconto que as distribuidoras de energia elétrica de todo o país deverão dar aos consumidores após cobrança indevida de encargo em 2016. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a cobrança irregular se refere a um repasse de encargo para a usina nuclear de Angra III, que não entrou ainda em operação. Após o mês de abril, as tarifas vão ser impactadas apenas pelo fim da cobrança irregular.


Em todo o Brasil, o ressarcimento será de R$ 900 milhões. O percentual de desconto varia conforme a localidade e a empresa distribuidora de energia, podendo chegar a 19,5%. A Copel atende a 4,5 milhões de unidades consumidoras em todo o estado. Dos 399 município do Paraná, a Copel não opera integralmente em Ribeirão Claro, Barra do Jacaré e Jacarezinho. Nas cidades de Campo Largo, Guarapuava e Coronel Vivida, a Copel distribui energia apenas na área rural.

Angra III

No início do mês, a Aneel admitiu que, por conta de uma falha, os consumidores acabaram pagando R$ 1,8 bilhão a mais nas contas de luz ao longo de 2016. Nesta terça, entretanto, a agência informou que o valor cobrado indevidamente deve girar em torno de 50 a 55% do valor estimado inicialmente. Essa cobrança extra ocorreu pela inclusão indevida nas contas de luz de um encargo destinado a remunerar a usina nuclear de Angra 3. Esse encargo, porém, não deveria ter sido cobrado por que a usina ainda não entrou em operação.

Segundo a agência, o erro foi baseado em informações da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que é quem informa qual energia de reserva pode ser usada. A cobrança indevida veio à tona porque o presidente do Instituto de Cidadania de Formosa (GO), Geraldo Lobo, ingressou com uma ação popular questionando o cálculo da conta de luz.

Comentários