ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Justiça decide manter Admir Stechar na prisão

Ex-presidente da Câmara de Guarapuava foi preso por contratar funcionários fantasmas.

02/11/2016

Mais um pedido de progressão de pena para Admir Strechar, ex-presidente da Câmara Municipal de Guarapuava, foi negado pela Justiça. Ele encontra-se preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG) e caso fosse aceito o pedido, ele iria para o regime semi-aberto. A decisão é da juíza Patrícia Carbonieri, da Vara de Execuções Penais de Guarapuava.

Strechar era vereador e presidente da Câmara Municipal Guarapuava em 2011, quando foi preso na Operação Fantasma, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Segundo o Ministério Público (MP), ele contratou funcionários fantasmas, que ganhavam sem trabalhar. Ainda conforme o MP, os assessores ainda tinham que devolver parte do salário ao então presidente da Câmara, o que é ilegal.

Do G1

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar